10/12/2010

A Política do Bom Gosto

Bom, uma coisa que me deixa realmente confusa é a imposição que algumas pessoas colocam sobre nós. Essa imposição é sobre o que nós gostamos, pensamos ou agimos. Essas pessoas acham, que só por que não gostamos do que todo mundo acha que é bom, não temos bom gosto.

Contarei um fato ocorrido comigo hoje.

- Na aula de história o professor estava falando sobre uma questão da ditadura no Chile e no Brasil. Ditadura sempre nos leva a pensar em exílio. Papo vai, papo vem, eis que o professor fala sobre famosos que foram exilados, então ele cita Raul Seixas e Paulo Coelho, que foram exilados para Turquia, lá se conheceram e montaram uma banda (isso segundo o professor, não tenho conhecimentos sobre a vida de nenhum dos dois!). Pois bem, estava tudo a mil maravilhas até o professor dizer: “São poucas as pessoas que não gostam de Raul Seixas!”. Então, levantei a minha mão e disse: “Eu não gosto de Raul Seixas!”. Logicamente, o professor me perguntou por que, e eu respondi que apenas não gostava e que também não gostava das letras dele. Simplesmente depois disso veio uma onda de criticas sobre mim, dizendo que eu era louca e que Raul era maravilhoso, que só gente inteligente gosta dele, e blá,blá,blá. Vamos aos fatos. Não nego que Raul seja um bom cantor ou musico, ele vez parte de muitas gerações, inclusive da minha. Pois quando eu era pequena e ficava com os meus tios eu escutei toda sorte de musicas possível, tenho referencia musicas de vários gêneros, e Raul era o que eu mais escutava, até acho algumas musicas interessantes, mas não ao ponto de falar: “Sou fã do Raul”. Simplesmente ele faz parte de um estilo de vida ou de alguma coisa que para mim, não é interessante. Respeito muito quem gosta... Mas gosto é gosto.

Em falar “gosto é gosto”, eu vejo que tem um grupinho de pessoas que se acham os donos do bom gosto (isso em musica, pois os outros não vêm ao caso no momento), acham que só o que eles escutam é o bom, e critica tudo que não faz parte de seu repertorio. No meu grupo social, percebo que a maioria das pessoas que fazem essa critica são as ‘rockeiros’ e ‘funkeiros’. Os rockeiros por que acham que só o rock ou musicas de algum estilo que seja de um nível cultural mais alto seja bom, e os funkeiros, por que acham que musicas que não sejam de funk, axé e pagode não sejam boas (deve ser por que não conseguem mexer o bumbum como eles querem). Confesso que também faço uma pequena participação nesse grupo, pois há gêneros que nem com vodka descem. Bom, eu escuto QUASE todo tipo de musica, desde gospel a musicas "do mundo", na verdade eu escuto aquelas na no meu ponto de vista, são de qualidade sonora (não posso negar que há pessoas com muito talento em ambas as partes – “daí a Cesar o que é de Cesar). Eu evito escutar musicas com erro de português. Mesmo eu não sendo formada em letras e muito menos ser a melhor escritora de blogs no mundo, eu não gosto de ouvir musicas com tais erros, pois incrivelmente esses erros entram na minha cabeça e eu só consigo lembrar da musica por causa deles.

Bom, eu achei errado o modo como me julgaram, só por que não gosto de Raul. E se eu falasse de outras coisas que eu não gosto, provavelmente, seria a pessoa mais excluída do mundo. Eu não gosto de cultura de massa, isso é fato, e creio que serei criticada. Não gosto de modinha e muito menos de coisas felizes demais. Gosto de coisas que vão de acordo com o meu pensamento e estado de espírito. Quando eu estou feliz, gosto de escutar musicas muito agitadas para gastar energia, quando estou triste, gosto de escutar musicas calmas. Acho que isso é o que acontece com todos nós. Eu gosto de musicas antigas, pois a ‘modinha’ delas já passaram, e quem escuta ainda hoje é por que é fã de verdade. Posso citar exemplo Metallica, AC/DC (+_+), Raimundos, PG, Oficina G3, Skillet, rock nacional dos anos 80, Soul, Jazz, e por ai vai. Mas esses são os que eu julgo como bons, e não cabe aos outros falarem que eu tenho mau gosto.

Creio que todos devem respeitar a opinião do próximo, mesmo que esse próximo escute “Restart”. Sei que é quase impossível não zuar uma pessoa que escuta esse tipo de banda, mas fazer o que?! Temos que respeitar. A liberdade de pensamento é uma coisa muito importante, por isso existem os blogs, para que possamos dizer o que pensamos sem nós preocupar. Então, se você é do tipo de pessoa que critica a outra só por que ela gosta de Bossa Nova, lembre-se, você também é criticado por gostar de Parangolé.

Até a próxima, Amiguinhos.

ps: “Não creio, no sentido filosófico do termo, na liberdade do homem. Todos agem não apenas sob um constrangimento exterior mas também de acordo com uma necessidade interior.” (Albert Einstein)

ps2: Quero mudar o nome do Blog, se alguem tiver alguma sujestão, será otimo.

Um comentário:

Lidianne Carvalho disse...

Quantos anos voce tem? Seu blog tecnicamente (na minha opnição) está super otimo. Concordo plenamente com seu post. Gosto nao se discute, se respeita. Quanto aos erros de portugues eles nao estão só nas musicas, nao tem como fugir. Voltarie, pois gostei. Parabens pela coerencia e assimilações do post.

Beijos